sexta-feira, 14 de setembro de 2012

MUITOS SE PERDERAM NO CAMINHO




Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos
Quero ver brotar o perdão onde a gente plantou juntos outra vez
Já sonhamos juntos semeando as canções no vento
Quero ver crescer nossa voz no que falta sonhar
Já choramos muito, muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar uma nova canção que venha nos trazer
Sol de primavera abre as janelas do meu peito
a lição sabemos de cor
só nos resta aprender...(Sol de primavera)
Beto Guedes

Após longa caminhada sob o Sol, por ruas repletas de ipês amarelos, esquinas, curvas, labirintos e um túnel ao contrário ou dentro de um espelho. Muito tempo se passou desde que decidi partir, mas os ipês continuam lá, florescendo a cada ano, , cada dia, cada vida...Não muito tempo se passou dos tempos turvos, das tempestades, dos olhares de vidro, febris; tempo de agouros, rancores e mágoas em que ficava deitado não querendo acordar, nem sair da cama ou viver. A presença humana causou-me constrangimentos, como se humano eu não fosse...então sentei só e fiquei olhando pela janela, onde crianças passavam correndo e gritando. Havia muita luz no rastro deixado por elas...era a mesma janela em que perdi a última possibilidade de armar novamente, demorei demais encantado, olhando, olhando, ouvindo e zapt, um falcão levou para longe, para sempre, esta última possibilidade...Recebi palavras através dos ventos do sul, e nuvens viraram versos, disse-me Rayuela. Então, meu coração se acalmou e uma paz brotou no fundo do peito, chegando na garganta em forma de gritos, sussurros coloridos e beijos de estrelas azuis, e anjos...estes sim, eram pequenos, confiáveis, eles ficavam ali, como disse Caio, o Abreu, dentro do armário, onde via seus pés pálidos, translúcidos, como se flutuassem...Mas meu anjo também partiu, deixando Julia, uma doce menininha para tomar conta de mim, pegar-me pela mão, e levar-me para o jardim, catando flores, sonhos, pedrinhas coloridas, fadinhas...Voltando da longa viagem para as responsabilidades, percebo que apesar dos agouros, pés de ipês estão floridos amarelos em setembro, semeando a boia nova pelos campos e ruas e cidades. Após longa caminhada sob o Sol, ao longo da rua com ipês amarelos.

12 comentários:

  1. Feliz daquele que teve um caminho para se perder, pois, muitas vezes é preciso se perder para se (re)encontrar... Adoro os ipês!
    Um beijo grande no teu coração que tbem é azul!
    Enquanto há vida, sempre haverá a esperança, pense nisso!
    Meu carinho de sempre,
    RO

    ResponderExcluir
  2. Minha doce poetinha só tu para alegrar um blogueiro neurótico como eu...sou sempre muito feliz com tuas visitas e doces comentários, achei que este post tinha sido a maior porcaria que já escrevi, e olha que tou tentando não ser tão negro (quer dizer, eu sou negrão rsrsrs). Sempre acho minhas coisas deprês que escrevo, melhores que as coisas que tento positivar, vai saber,né ?
    Minha querida amiga Rosana, tua luz azul está sempre me rodeando, entrando e saindo de meu coração, é uma luz presente em minha vida. Como tu colocaste muito bem naquele poema, que adorei (é a minha cara), não perco a FÉ por nada, embora possa chorar às vezes, de achar que não mereço o amor porque não o tenho, mas daí deixemos o tempo fazer o seu trabalho. O que importa mesmno é estar-mos vivos em contato de quem gostamos, como nõs.
    Meu carinho meu respeito e meu sempre imenso abraço.

    ResponderExcluir
  3. Agradeço por sua visita no Perseverança e sinta-se sempre bem vindo.
    Quanto a sua postagem, que escolha maravilhosa da nossa música popular, Beto Guedes é um ícone, e temos ai Geraldo Azevedo que é um dos meus preferidos e em seguida temos Tunai, nossa menino!! vou ficar o dia todo falando de nossos poetas musicais, e indo um pouquinho mais na nossa geração que tal Lobão? os mais comportados Jairzinho, e musicalmente deixo um abraço fraternal regado de muita harmonia. Nicinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Nicinha, perdão pela demora em responder ou comentar o comentário rs, mas com perseverânca vamos longe...eu particularmente adoro os mineiros do clube da esquina, temos tantos poetas musicais (adorei isso), ía realmente faltar espaço aqui. Lobão amo até hoje, o Jairzinho coitadinho, se perdeu depois de grande, gosto das músicas dele na voz da Luciana, a irmã dele. Adorei tua visita, e teu blog é muito útil e necessário, continuarei acompanhando.
      Meu carinho meu respeito meu imenso abraço e OBRIGADO pela visita.

      Excluir
  4. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita Morgan, gostei muito do teu blog, até já comentei por lá. É um blog que nos trás conforto, palavras positivas, indica um caminho para o bem viver, um blog bom para visitar.
      Meu carinh meu respeito e meu abraço.

      Excluir
  5. Que lindo *-*
    um conto tão bem escrito que nem dá vontade de parar de ler *o*

    hey segue de volta e deixa um comment?
    www.diademegalomania.blogspot.com

    valeeeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja muito bem vindo querido Paz, obrigado pelo doce comentário, mas nem de longe consigo escrever como o que li no teu blog, simplesmente delicioso e intrigante, algo com a minha cara, te seguirei com certeza. Agora que terminei a parte 3 posso comentar, se bem que tenho vontade de comentar desde que li a primeira.
      Meu carinho meu respeito e meu abraço

      Excluir
  6. Jair, que texto cheio de sentimento! Ele conversa muito comigo, com o que fui, com o que me tornei... E a canção com que tu inicias o texto me traz boas recordações. Li com os olhos da alma!

    ResponderExcluir
  7. Meu querido poeta, sempre feliz com tua visita e mui queridos comentários...eu sou o homem sentimento, talvez até a mais, o que pode ser visto no que escrevo. É o resultado do que vivo, transformo sentimentos, reações, as pessoas que me chegam e me afetam, ou não, mas pode surgir uma história na minha cabeça que o coração pega esse rascunho e passa para o blog ou um papel antes. Verdades que se fundem em mentiras, metáforas, mentiras que podem parecer verdade. Somos o resultado de tudo e mais um pouco, e aqui estamos. O que fala de Julia é verdade, minha doce sobrinha de 2 anos me chama para colher florzinha, como ela diz, no jardim de minha e meu pai, que é o q mais trabalha nos canteiros, e este é realmente um momento mágico...Quanto a canção, concordo contigo, ela me aguça a memória e sempre desejei posta-la aqui no bloguinho, todo ano, no mínimo cantarolo esta canção. Pois é meu poeta, gosto de ser visto pelo teu olhar da alma.
    Meu carinho meu respeito e meu imenso abraço.

    ResponderExcluir
  8. todas las primaveras amarillearán tus ipês y mis aromos-

    abrazo*
    silviyuela, o rayusilvia

    ResponderExcluir
  9. Minha querida Maga das Palabras, acabou a saudade, é, e nos encontramos e continuamos a cada primavera, a cada tom amarelo, a cada rayuela, atravessando espelhos e espaços, contornando idiomas, distâncias e mesmo assim, nos encontramos e compartilhamos. Obrigado querida poeta, por teu imenso carinho que sinto. Obrigado por tua inspiração que nos brinda a cada publicação com uma tempestade de emoções os poemas e textos poéticos que uma vez invadiram meus sentidos, minha vida e mostrou-me uma nova possibilidade, e é o que se precisa, o que preciso. Obrigado sempre pela vista e comentários queridos.
    Meu carinho meu respeito meu sempre imenso abraço. abraço

    ResponderExcluir