segunda-feira, 4 de novembro de 2013

DO RISCO EM TEUS CÍLIOS





ALTOS E BAIXOS
ELIS REGINA


Foi, quem sabe, esse disco

Esse risco de sombra em teus cílios

Foi ou não meu poema no chão

Ou talvez nossos filhos

As sandálias de saltos tão altos

O relógio batendo, o sol posto, o relógio

As sandálias, e eu bantendo em teu rosto

E a queda dos saltos tão altos

Sobre os nossos filhos

Com um raio de sangue no chão

Do risco em teus cílios

Foram discos demais, desculpas demais

Já vão tarde essas tardes e mais tuas aulas

Meus táxis, whisky, Dietil, Diempax

Ah, mas há que se louvar entre altos e baixos

O amor quando traz tanta vida

Que até pra morrer leva tempo demais

 by Julia Rauta

11 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigado querida Pá pela carinhosa presença. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Meu rei Bratz, fico tão comovido e feliz com tua presença...embora esteja preparando minha partida de BlogsVille ( ela é pequena demais para eu e outro ser...) nunca deixarei de visitá-lo, pois o carinho e respeito que sinto por ti são imensuráveis. Não sei sentir os sentimentos pela mentade, ou amo ou odeio, então prefiro me retirar.
      Meu carinho meu respeito minha admiração e meu abraço.

      Excluir
  3. Jair, meu caro.Esse mundo dos blogs é ao mesmo tempo afável e tb cruel. basta saber dividir e excluir aqueles que te incomodam. Há muita gente que vale a pena por aqui. Não se prive de conhece-los. Passei por muito dissabor tb, mas resisti. Meu espaço estará sempre aberto para vc fazer seus comentários e deixar mensagens que para mim são muito bem vindas.Não suma...abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caríssimo Rafael, obrigado sempre pela visita e comentário tão afável, gosto de teu blog desde que conheci, assuntos relevantes e num nível, espero que ótimo rs, pois me entendi perfeitamente, inclusive inspirando. Já faz tempo que participo desta roda louca e imensa que é a blogosfera, muitos conheci, muitos amei e os amo sempre, e sempre virtualmente, é vital para continuar por aqui...existem muitas pessoas que valem a pena e realmente tem algo a dizer que nos interessa diretamente, eu sempre sinto assim, é assim que me atraem os blogs....teu blog é daqueles que vale a pena, pela pessoa, pelos assuntos, pelo bom papo. Não sumirei...carinho respeito e abraço.

      Excluir
  4. Respostas
    1. Olá Marcos, meu fotógrafo de plantão rs , obrigado pela visita...adorei aquela planta canibal ? Vou dar meu palpite...seja sempre bem vindo, eu gostei muito dessa letra, não conhecia e me apaixonei, quando ouvi Elis cantando, realmente é algo único. Valeu. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  5. Um desfecho formidável....
    "O amor quando traz tanta vida
    Que até pra morrer leva tempo demais"

    Mesmo que o tempo passe rápido, parece que a vida se torna tão intensa quanto a eternidade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vindo de um poeta eu acredito, porque a vida é a vida, a intensidade, o que faremos com o que há nela é que faz a diferença, como uma música, esta eu me desesperei no melhor sentido, ouvindo este poema cantado se prercebe da riqueza que temos e deterioramos com o que se faz/ouve hoje (geração perdida rs)...me diga, quem inventou o amor ? rs...se permitindo sentir o que lemos nos torna mais humanos, algo que estamos perdendo. Muito obrigado Hugo, tuas palavras sendo lidas hoje por mim me dão uma leveza, tão necessária neste instante...
      "Foram discos demais, desculpas demais
      Já vão tarde essas tardes e mais tuas aulas",
      entre outras , este trecho é demais...
      Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  6. Meus caros leitores e comentaristas, os autores desta música são nada mais nada menos que SUELY COSTA e ALDIR BLANC, gênios né ?
    Quem me indicou a música me disse e estava tentando uma forma de entrar no blog para corrigir tal heresia rs...a tal da Julkia Ralta deve ser a pessoa que postou no Vagalume tal letra. #prontoaliviado.
    Carinho respeito e abraço e muito obrigado pela visita.

    ResponderExcluir