terça-feira, 27 de outubro de 2015

BANDOLINS

 
 
Bandolins
 
 
Como fosse um par que nessa valsa triste
Se desenvolvesse ao som dos bandolins
E como não e por que não dizer
Que o mundo respirava mais se ela apertava assim
Seu colo e como se não fosse um tempo
Em que já fosse impróprio se dançar assim
Ela teimou e enfrentou o mundo
Se rodopiando ao som dos bandolins

Como fosse um lar, seu corpo a valsa triste iluminava
E a noite caminhava assim
E como um par o vento e a madrugada iluminavam
A fada do meu botequim
Valsando como valsa uma criança
Que entra na roda, a noite tá no fim
Ela valsando só na madrugada
Se julgando amada ao som dos bandolins

by Oswaldo Montenegro

35 comentários:

  1. Respostas
    1. Perfeita definição meu rei, meu adorado amigo Bratz...sempre acarinhando meu coração com tua doce presença, vital para minha vida virtual que é real. Acho que sempre ouvi sons de bandolins desde que ouvi esta música pela primeira vez em remotos anos passados rs, são aqueles hinos que jamais deixarão de se notar, por mais que o tempo passe, ao contrário da grande maioria das composições atuais, tem uma existência garantida no infinito da memória. Sempre agradecido e feliz, um blogueiro feliz com tua nobre visita meu amigo do coração, para sempre. Obrigado por me manter conectado contigo, assim nada de mal me afetará na blogsofera e na vida fora dela, obrigado, Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  2. enfrente o mundo vc tb e ela mesmo de boca inchada e feia, saiu por aí a rodopiar e dançar.

    ResponderExcluir
  3. Como a valsar triste dança
    E à existência dizendo sim
    O corpo ao ignoto se lança
    Então se ouviam bandolins

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senhor de todas as palavras, meu amigo e poeta Jair, achei tão lindo isso: "como a valsar triste dança". A poesia da música é riquíssima, mas os bandolins que levam, que fazem flutuar e imaginar...aqui restam as palavras, mas o poder delas está também em guardar melodias, assim não consigo deixar de ouvir bandolins, sentir o vento bailar sobre mim, dentro de mim, me deixar levar pelo encantamento da música invisível, mas nas entrelinhas do poema postado aqui. Viva Oswaldo Montenegro, viva o músico popular brasileiro. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  4. ADORO essa música! Linda! abraços,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pertenço a este clube minha adorável amiga Chica do Céu, ela é linda de mais e para sempre - sou saudosista, confesso rs - Nestes tempos de tempestades chuvas e nuvens tapando o céu, fiqueri como gosto de ficar, navegando no teu blog Céus e Palvras, meu favorito. Querida amiga obrigado sempre por tua atenção. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  5. A letra não parece má =)

    Beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Cláudia de além mar, não te parece má e não é, quer dizer, falo por mim, a música é maravilhosa e a letra é este poema quier aí está, tente ver na net Oswaldo Montenegro, é um grande artista brasileiro. E sempre muito obrigado por tuas visitas neste blog. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  6. Bello... el poema fluye como la propia danza...
    Paz
    Isaac

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracias querido hermano, meu artista dos pincéis e das reflexões poéticas profundas...a força das palavras, do poema sem a melodia, a dança sem o movimento, estática na foto que ilustra, mas queria isso meu amigo, que a poesia fosse por si só, como a dança que leva o corpo, contagia e posso ouvir isso: "el poema fluye como la propia danza...". Obrigado Isaac por tão bela observação. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  7. Bello... el poema fluye como la propia danza...
    Paz
    Isaac

    ResponderExcluir
  8. Bello... el poema fluye como la propia danza...
    Paz
    Isaac

    ResponderExcluir
  9. Tenho adoração por essa música! Aliás, de muitas outras do Oswaldo Montenegro, que considero demaaaaissssss!!!! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também Marilene, o Oswaldo tem composições perfeitas que entram para a posteridade, e este é um dos exemplos, já postei dele Agônia, que é perfeita também. Parece que esta letra de música é de um tempo que não existe mais, pois já não se faz mais letras de músicas assim, salvo raras exceções. Bom te ter por aqui Marilene, muito bom mesmo. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  10. Querido Jair....Detesto o cantor... mas adoro esta música... te deixei coment no posto sobre um cara chato que anda te enchendo a paciência.... ainda bem que nem lembro o nome dele... brison alguma coisa... o nome não importa... vai lá ver.... beijokas!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida amiga Anaís, meu coração já fica todo pulsante quanto te vejo por aqui, li o comentário da blogueira Marilene acima, adorei, e li logo após o teu, não contive o riso (coitado o Oswaldo rs), mas fazer o que, somos seres únicos, e gostos diferenciados, mas ainda bem que temos coisas em comum, esta música por exemplo, e isto é o que importa, importa o que une. Vou lá no outro comentário. Obrigado sempre minha amiga por se fazer presente, por me manter vivo na memória, pois tu estás na minha memória e no meu coração, sabes disso. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
    2. meu querido... respondi seu comentário lá no outro post... encerrando o assunto stalker maldito. Vamos que vamos. Fique bem!!!!!

      Excluir
    3. Aliás... minha alma inconformada com falta de respeito não me deixou quieta e fui pesquisar este "ser" na net... pelo que vi é um hermafrodita covarde que dedica seus dias há tempos em procurar vítimas entre escritores de blogs para destilar veneno... vou te mandar alguns links somente para apaziguar sua alma e para que veja que não é o primeiro e não será o último a ser motivo de perseguição e postagens imbecis. Agora sim... fechamos a conta. Deixa essa pessoa infeliz pra lá convivendo com suas infelicidades... Mais beijos meu amigo... http://olderbandeira.blogspot.com.br/2011/05/quem-se-intitula-brison-mattos.html http://intemporal-pippas.blogspot.com.br/2012/11/brisonmattos.html http://www.reticenciando.com/2012/03/eterna-equacao.html http://edsonplacco.blogspot.com.br/2012/12/da-pagina-em-branco_21.html http://mardemarcia.blogspot.com.br/2014/01/lagrimas.html

      Excluir
    4. O meu grande problema é que sou muito mal acostumado, mimado também, por amigos assim como tu...digo isso do alto dos meus 48 anos, apesar da idade tou num constante amadurecer, quero muito, mas na minha vida sempre tive pessoas bem legais que sempre me auxiliaram, sempre cuidaram de mim, como tu estas cuidando agora, muito obrigado minha amiga Anaís...viver vale a pena, só precisamos nos unir aos bons e do bem, que somos nós. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  11. Caro Jair,
    Meu parente brasileiro

    Primeiro, peço que aceite as minhas desculpas por só hoje aqui aparecer.
    Depois os m/ agradecimentos pelas suas palavras amigas deixadas no meu Birras.

    Eu fiquei na esperança que o Jair reconsiderásse... não lhe disse mais a minha opinião (já tinha dito) e repeti-la-hei até à exaustão se necessário. Já viu? Estar a dar valor a quem, dando-lhe troco...
    Tem tantos amigos que o respeitam, não perca tempo com quem não merece.
    Acabar com este intercâmbio de conversa era errado, pois nós é que ficávamos prejudicados...
    Leu no meu blog o que lhe disse a Nouredini?.....

    Pois eu não tenho comentado mas leio, e relei-o. Gostei que tivesse recordado com o Soneto Amor e Morte, o escritor e poeta, e grande cidadão Dr. Vasco Graça Moura, um soneto triste mas muito bonito.
    Ele infelizmente já partiu, em 27 de abril deste ano. Tinha 72 anos, ainda tinha muito do seu saber para dar, mas a maldita doença incurável, não permitiu.

    Verifico que o seu Teimoso é um cão com personalidade, ele soube o que queria...

    Abraço forte.
    Dilita

    ResponderExcluir
  12. Voltei, porque fiz confusão. O Dr. Vasco Graça Moura faleceu em 27 de abril mas de 2014. Portanto no ano passado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dilita querida, minha parente portuguesa, eu que te peço desculpas pelo desabafo no teu Birras, só em casas de amigos me sinto bem para falar o que me aflige, e quando estive lá não estava sabendo lidar com este fato, comentários desagradáveis, mas como podes ver, depois desta legião de amigos conversando comigo, me iluminaram sobre a moderação...então perdoa o exagero dramático (sou assim rs), e decidi para o meu bem, pela minha saúde mental, espiritual e física, continuar com os comentários e eu fazer o comentário do comentário, minha doce terapia, e a forma de agradecer as pessoas tão especiais que por algum motivo do bem, nos cruzamos na blogosfera e eu as visito e sou visitado, isso é mágico, não tem preço...gosto deste Jair que escreve, pode ter certeza que me comunico muito melhor que falar com as pessoas, pelo menos onde estou, mas faz pouco tempo também (eu espero). Então minha querida Dilita, não tenho o que temer sobre o meu blog, por isso não existe ataque, eu não ataco ninguém, então vamos ignorar o ignorante e seguir nossas vidas dignas, livres e do bem. Sabes o apreço que tenho por ti querida Dilita, eu não posso me privar de manter estes contatos, não posso e não quero. Ainda vou achar a moderação, mas fica assim por enquanto, foi só um susto bobo. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
    2. Quanto ao Teimoso, eu estou totalmente apaixonado, eu amo este cachorro e ele me ama, e eu comecei a ficar mais feliz depois dele na minha vida, ele é meu Bebê Teimoso, embora não faça a mínima idéia da idade dele, mas estamos ligados, eu sei disso, ele sabe e eu sou muito feliz por isso.
      Sabia que conhecias o poeta Vasco Graça Moura, o poema certo na hora certa, e assim se deu meu encontro com o poeta e este poema.
      Li com atenção o que disse Neuredini, agradecido.
      Carinmho respeito e abraço

      Excluir
  13. Olha quero parabenizar o Jair, meu paciente, olhei seu blog e é muito interessante, muito inteligente vc, parabéns vou continuar acompanhando seu blog. Att. Dr. Eduardo Marquetto. Cirurgião Dentista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá dr Eduardo, fico feliz e lisonjeado com sua presença e muito agradecido pelas boas palavras que me deixou aqui. Carinho respeito e abraço

      Excluir
  14. Ah, adoro Osvaldo Montenegro, grande letrista, poeta. Bom gosto, Jair. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabio Murilo, meu poeta sério, gosto muito também do trabalho dos Menestréis que o Oswaldo desenvolveu no teatro, aliás a música dele tem um que de dramático né ? Mas é um letrista ímpar e poeta, como só os poetas sabem ser. Feliz demais com tua visita querido amigo e poeta Fabio Murilo. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  15. Caro amigo Jair, pois então, bons tempos aqueles, que já não eram tão bons no campo musical, se bons comparados com os inesquecíveis 50/60, mas excelentes se comparados com o nada de agora.
    Um abração. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu querido amigo e grande poeta Dilmar, musicalmente sou completamente atemporal, poderia muito bem ter vivido nos anos 30, 50/60, como dizes, mas eu fui jovem nos anos 80, inesquecível, mas aprendi a buscar qualidade para meus ouvidos, e quando se parte para uma aventura assim, fatalmente vamos nos tornando mais seletivos. Entendo perfeitamente o que dizes com relação ao nosso tempo de agora, eu sinceramente não sei se as pessoas ou o tipo de artista que surge a cada segundo, muito, mas muito poucos conseguem minha atenção, ou vão continuar disputando espaço com o que já conheço e não abro mão, boa música. Sempre bom conversar contigo. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  16. Tenho passado por aqui, para ver se há novas publicações. Desejo-lhe uma excelente semana. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Marilene, que fofo de tua parte procurar um novo post, acabei de postar. Carinho respoeito e abraço.

      Excluir
  17. Respostas
    1. Muito agradecido meu caro fotógrafo Rui, por tua presença e palavras de estímulo. Carinho respeito e abraço.

      Excluir