terça-feira, 19 de janeiro de 2016

LUZ E SOMBRA

 


“A luz da paixão, o dedo da morte, o grave pincel da solidão desenham meus contornos, firmam meu chão.” A poesia me salva, como uma mãe alerta o filho, acompanhando-o, por toda a vida, perto ou longe. Precisava medir meus contornos, meu alcance da lucidez adulta, da responsabilidade dos pais, pois continuo sendo o filho. A paixão não aconteceu feliz, primeira porta da dor, primeiros passos ao sacrifício de um coração iludido, ingênuo e burro. Onde conheceu a mão da morte, chegando a tocar seu dedo e sentir o frio do fim, a escuridão do nada, a falta de vida, a desesperança. Pelos vales da sombra caminhei, me perdi, caí varias vezes, e levantei também, corri, gritei. Sentei no meio do nada esperando como um moribundo, o tempo se extinguir, do chão se abrir, e meu corpo voltar a ser pó. Nada disso impediu que descobrisse a solidão como refugio, o amigo que me deixava só comigo mesmo, ensinando a me amar, a catar os cacos, a lamber as feridas, a estar no fundo do poço e cavar mais e mais, até encontrar um facho de luz oriental, o Sol da meia noite, a luz em contraste com a escuridão, penetrando nas frestas da memória e trazendo à tona um arco-íris perdido num sonho esquecido, mas que repousava ali, há muito tempo, nas profundezas desse coração iludido, ingênuo e cheio de esperança. Tanta luz invadindo a sombra, entre contornos e desvios, esquinas e árvores, luz e sombra, dançam trazendo formas, transformando signos, refazendo a página, desenhando campos, caminhos, onde colocarei meus pés no chão, indo ao encontro do melhor que conseguir me tornar, neste tempo chamado vida...

13 comentários:

  1. Lindo,Jair!Sombras existem sempre, mas tão lindo quando são invadidas pela luz! De volta, bem feliz, abração,chica

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Chica do Céu, minha adorável amiga, tua presença, tua volta feliz enche meu coração de alegria, pois se voltas feliz, então deu-se o que Deus preparou para ti...exato minha amiga, vivemos em sombras, entre sombras, um monte de coisas acontecem em minha vida, quanto mais eu conheço as pessoas, mais decepção, silêncios inexplicados, eu me calo e sigo em paz, estou em paz, levemente entristecido por acontecimentos que independem de mim, embora eu seja o alvo...por isso não perco a fé, acredito que a luz rompe com a escuridão, nos permitindo ver adiante e seguir, eu estou tentando. Muito feliz de verdade com teu retorno. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  2. Soneto-acróstico
    Luzes

    Cede a luz à sombra tenebrosa
    Onde houve brilho não mais há
    Mas se esta natureza umbrosa
    Ousar infiltrar-se aqui, como lá?

    Luz é vida do verso e da prosa
    Uma escuridão é por si só, má
    Zune espectro de alma danosa
    Em que um enorme pavor trará.

    Saindo a luz deste sol benfazejo
    O mundo vai lhe sorrir por certo
    Mesmo sem um aparente ensejo.

    Basta sua alma esteja por perto
    Realizará com certeza o desejo
    Apenas tenha o coração aberto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu muito estimado amigo Jair Lopes, senhor de todas as palavras, como não me emocionar com teus comentários por aqui, de onde vem esta perspicácia, que como um facho de luz, adentra a escuridão de minha alma e me revelas nas tuas palavras. Inicio este post com palavras da Lya Luft, do poema do post anterior em que buscava falar de maturidade. Estiveste lá e percebeste minha procura angustiada, deixando belos versos como comentário. Estou num momento bom comigo mesmo, e com a maioria das pessoas que preciso estar, algumas, não sei porque explicitam um afastamento, como já fui bem mais paranoico que hoje, me deixo em silêncio, devolvendo o silêncio e continuando em paz e não querendo saber o porquê. Pensando por onde passei, meu tormento emocional, o meu blog é testemunha, já escrevo a seis anos, mas aprendi a lidar um pouco com isso, a escrever sobre a sombra, mas ter luz.
      "O mundo vai lhe sorrir por certo
      Mesmo sem um aparente ensejo.

      Basta sua alma esteja por perto
      Realizará com certeza o desejo
      Apenas tenha o coração aberto."
      Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  3. Caro amigo Jair Machado , a poesia, ah, a poesia, elixir de nossa vida, dádiva desta existência...
    Quem já não desceu aos infortúnios durante esta caminhada? Menos mal que são passagens, veredas, efemérides, porque nada é definitivo, mas tudo transitório, assim como a esta existência, que também é passagem para algum lugar,lugar este na dependência da crença pessoal; que pode ser paraíso, purgatório, inferno, nirvana,sétimo céu, plano espiritual, este redundando em reencarnações, quantas forem necessárias até a iluminação plena, mas enfim, seja como for, praticamente todos acreditamos que a vida continua em algum plano.
    Um abração, caro amigo. Desejo que os bons fluidos emanem dos teus protetores espirituais
    e desçam sobre ti trazendo paz, tranquilidade e iluminação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu bom amigo Dilmar, meu poeta sábio, quanta luz encontro em tuas palavras, elevando meu espírito, obrigado. Este é sentido básico da poesia em minha vida, me dá leveza nos momentos duros, me dá energia em momentos inertes. Se salvará o mundo ? Não sei, mas minha vida tenho certeza, porque foi a forma, ou única forma que consegui lidar, aprendi a lidar com meus fantasmas, que são muitos, meus temores, que são muitos, minha dor, minha frustração diante de uma vida em que não me enquadrava, não me encontrava, pois consegui, a trancos e barrancos, com esperança e desespero de saber. A Doutrina Espírita é muito importante em minha vida, embora não me diga espírita, uso muito este termo, pois foi na leitura da doutrina que consegui acalmar uma parte rebelde em mim, aceitar as perdas, nunca consegui entender, criar um pensamento que me confortasse, lendo espiritismo consegui e nessa peguei o hábito de leituras assim, atualmente leio uma da Zíbia, minha favorita nos romances espíritas. Meu querido amigo tuas palavras me tocaram profundamente, enchendo-me de alegria, esperança e paz . Todo meu carinho meu respeito e meu abraço.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

  5. Meu bom amigo Jair, se você me perguntar o que é a vida, não saberia dizer; não sei qual o seu sentido quando deparamos com um grande sofrimento; quando temos de levantar e ninguém para ajudar; quando perdemos nossos entes queridos, nossos bichinhos de estimação; quando nos deparamos com a solidão, quando... sei lá. Mas aí vem um estado de felicidade e fica tudo bem, esquecemos daquilo que passou. E assim é a vida, uma gangorra, ora estamos numa boa, ora numa pior, tentando resolver. E ainda tem aqueles cretinos que quando estamos lá em cima, abandonam a gangorra para ver a gente se esfacelar no chão. Não sei o que pensar de tudo isso, mas o bom é aprender a se defender, não andar de gangorra e nem numa canoa com quem não se conhece. Evitaremos dissabores, pois desilusões só temos com a nossa espécie.
    Mas falando agora de seu texto 'poético' – sofrido, mas lindo e comovente – digo que é o retrato de nossas vidas, da complexidade e fragilidade do ser humano. Todos temos nossos dias amargos. Mas o que importa mesmo é o julgamento que nós fizemos de nós. Aliás, ficou claro no texto, você cai, levanta e vai à luta! Bota valor nisso.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida amiga Tais, gosto de acreditar que sou Junguiano rs, que diz nada ser por acaso e fala de uma tal sincronicidade, tudo faz sentido, nem sempre sabemos ou entendemos, mas nada é 'por acaso', assim sinto tuas palavras, dessa lucidez que sempre digo e sinto nelas. Fico feliz demais com tuas considerações sobre o escrito, efeito Lya Luft em mim rs, é uma faceta minha que quero preservar, esta densidade, claro que comigo é muito 'eu tento' rs, sou naturalmente dramático, tento controlar isso, mas deixo fluir quando escrevo. Sempre quis caminhar com as letras por um lado sombrio com algumas coisas mais iluminadas de vez em quando, mas o fato é que não quero mais escrever o fim pelo fim, a morte pela morte, falarei disso, mas quero vida, quero reinícios, acredito que tenhamos direito a isso. Através do poema do post passado tentei rastrear meus passos passados até agora (pretensão minha rs), mas dentro da frase que inicia o post... Bem como dizes aprendi a sobreviver, dias sim, dias não, mas sempre um novo dia: “E ainda tem aqueles cretinos que quando estamos lá em cima, abandonam a gangorra para ver a gente se esfacelar no chão.” Uma cena engraçada e tão real, mas só temos de aprender a evitá-los. Minha querida amiga agradeço sempre a Deus estes presentes que ganho, estes amigos que conversam profundamente comigo, que me dão luz, carinho, solidariedade, me ensinam, me ouvem, por isso digo que sou um homem bem melhor desde que comecei a escrever este blog. Meu carinho meu respeito e meu abraço.

      Excluir
  6. Respostas
    1. Olá meu bom amigo de além mar Rui Pires, o cara da fotografia, feliz e agradecido por tua presença e por teu agradável comentário. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  7. Tudo aprendizado! Tudo lição de vida! Tudo a gente refaz ou se refaz! Feito poesia ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feito poesia meu amigo Marcos, feito poesia tentamos, arriscamos, vivemos, encontramos e desencontramos e tudo acrescentamos em nossa bagagem...gosto demais de tua presença por aqui meu querido amigo. Carinho respeito e abraço.

      Excluir