segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

BUCÓLICO

 
       
          Busco aliviar minhas dores e desamores, no ar bucólico do meu passado, no silêncio de vozes humanas, ouvindo apenas os pássaros e o murmuro do vento por entre as  árvores. Acordei e o sonho que tive era sobre um post que escrevia, parecia perfeito, mas não lembro dos detalhes, sobre o que eu escrevia, mas mesmo não lembrando do post, acordei feliz e aliviado, sempre me sinto assim após escrever algo, como se precisasse escrever para aliviar meu estômago, minha cabeça, minha alma e sentir-me livre de pesadelos, angústias, medos...então caminhei por uma trilha entre as árvores gigantes deste  vale em que me encontro, molhei meus pés no riacho  logo abaixo, em que  pequenos peixes coloridos brincavam perto de meus pés. Segui caminho, respirando profundamente este ar tão puro, tão limpo, tão diferente de mim, mas que me preenchia e me purificava.
          As guerras do mundo, florestas sendo devastadas, crianças sendo abusadas, trabalhadores explorados, tanta roubalheira no Planalto Central, e o desgoverno de nosso  país, tento esquecer tudo, tento libertar meu espírito para voos mais altos, para que ilumine minha vida terrena, mas sou apenas um ser humano que precisou isolar-se para não morrer sufocado ou esmagado com o peso do mundo nas costas, valha-me Drummond.
          Escolhi este caminho de vazios e cores, de pequenas lembranças, de saudades e esperanças. Tento sonhar com a solução dos problemas, mas não lembro se sonhei ou não consegui dormir. Mas ainda tenho uns dias longe de tudo, nesta calmaria querida Tais, para por em ordem as idéias, os sentimentos...renovar minha coragem e fortalecer o meu eu que trabalha, o eu que sonha, o eu que quer amar, o eu que só quer ser amigo, o eu que gosta de escrever para se libertar.

26 comentários:

  1. caríssimo Jonas, não há nada mais libertador que o amor, mas escreva. Tua liberdade depende disso...E eu gosto de te ler.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Meu rei se soubesses o medo que tenho do Brison...meu amigo muito querido Bratz fico feliz e lisonjeado pela presença deste rapaz, mas não estou e nunca estarei preparado para ele, para entender de verdade o que ele me diz, embora ele acerte quase sempre rs...mas tua presença sim, esta sim ilumina minha vida e faz com que o sentido do que escrevo, faça sentido...escrever me liberta, isto é verdade. Sempre me sentido prestigiado com tua presença. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
    2. Meu rei, o Brison errou de blog, não é para mim o que escreveu, mas para um tal de Jonas...

      Excluir
  3. Que ames, te libertes e escrevas muito! Te esperamos!abraços, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica do Céu, minha adorável amiga, gosto tanto de tua presença...estou bem, no meio do mato a reflexão fica mais pura, assim como o ar, consigo ver meu coração já cicatrizado depois de travar tantas guerras por amor, pelo amor de alguém que nunca chegou a existir, por isso escrevo, é um mundo que me sinto bem vivendo nele, lendo, escrevendo, sonhando, acho que é assim que minhas forças se renovam e me permitem continuar nesta travessia aqui no planeta Terra...obrigado querida amiga, pela presença sempre tão bem vinda em meu coração. A qui no mato tenho observado com mais vagar o céu, as nuvens que tanto amo e até fotografado, ainda te mando um de meus céus...Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. quanta sensibilidade, jair. As vezes a gente precisa desabafar algumas questões e por pra fora mesmo :)

    espero que esteja bem
    beijo
    beinghellz.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá menina Hellz, tua presença me traz felicidade...obrigado pelas palavras, meu blog é meio quase que totalmente terápico para mim rs, e para atravessar mais este ano, ele será minha bengala...escrever sempre me fez bem, desde ants de aprender a escrever, era daquelas crianças chatas, sempre arrastando um livro, um pedaço de papel para alguém ler, acho que por isso aos cinco anos já lia algumas coisas, uma tia me ensinou, acho que de saco cheio de mim rs (amo tia Teresinha, que Deus a tenha). Obrigado pela preocupação, estou bem, tenho a companhia de minha mãe. Amei teu post sobre Amy, amo música, amo Amy. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  6. Meu amigo Jair, texto muito verdadeiro, escrito por quem luta e que veio a esse mundo para ser feliz. A coisa está tão fora de domínio nesse país que vivemos quase em pânico...já não sabemos o nível e o tamanho do caos.
    Mas penso, também, que quando dirigimos nosso foco à outra coisa, aquilo que tanto almejamos passa a ter mais chance. Isso porque relaxamos e não atrapalhamos o curso normal das coisas. Por isso a tal 'calmaria'!
    Um problema a menos, né? Fiquei comovida, muito obrigada por gostar dos meus textos. Escrever é uma das melhores coisas, não abafamos dores e não somos interrompidos... É uma arma a nosso favor. Abraços, fique bem! Escreva bastante.
    (Desculpe um erro acima).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "...já não sabemos o nível e o tamanho do caos." Este é meu medo, o que pode acontecer conosco, pessoas do bem e honestas, trabalhadores, estudantes, nossas crianças, enfim o caos se apresenta...mas tenho esperança, senão já tinha dado um sumiço em mim rs. Acho que sempre precisei de ansiolíticos, mas nestes dias bucólicos fui tomado por uma calmaria (a palavra veio depois de ler teu post), e assim na calmaria fica melhor para refletir, sonhar, descansar, aliviar um pouco a caminhada. A solidão me ajudou a encontrar o caminho da escrita, converso comigo, com o mundo, com personagens que saem de minha cabeça, ou que encontrei em algum lugar e me ficou na mente, depois o liberto no papel (maneira de dizer papel rs). Por vezes tinha medo das coisas que escrevia, até que alguém me disse, um amigo da blogosfera, que o blog é meu e sou eu, nada mais justo que seja autêntico, condizente com minhas verdades. Sinto uma honra imensa de ter te encontrado na blogosfera, encontrei o dr Pedro bem antes, mas tudo tem sua hora, só precisamos de calmaria para que as coisas aconteçam no seu curso normal. Estou bem amiga, e sempre, sempre muito agradecido por tua amizade. Eu que peço desculpas pelo erro de digitação rs - murmurio e não murmuro como escrevi - escrever coloco entra as coisas boas, como dormir, comer, amar...querida amiga, meu carinho reu respeito e meu abraço.

      Excluir
  7. Força e Fé, são precisos ao longo dos caminhos da vida!
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu bom amigo de além mar Rui Pires, grande fotógrafo de olhos de lince, fotos que falam por si, que tem a força e a magia de me comover sempre, já vou lá...a força tento e busco todos os dias, e de fé sou feito, é o que mantém vivo, tentando, tentando, buscando me encontrar, ser feliz, amar quem sabe. Graças a Deus tenho Força e Fé, e amigos assim como tu, que me lembram disso e reforçam minha vontade de viver e ser feliz, obrigado. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  8. A perseverança em si, tem a força revitalizadora de por em segundo plano as dores... Esta por sua vez nos faz retornar com maior sabedoria para enfrentarmos as adversidades deste sistema, o qual nos impões cargas exageradas... Uso dizer que as tribulações não nos tornam nem melhores e nem piores, apenas nos faz retornar com maior sabedoria... meu caro.... Um forte abraço meu grande amigo.. Obrigado por comparecer no meu espaço, espaço o qual anda meio abandonado pela falta de tempo da minha parte, mas sempre que der vou lá...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Wonder, é sempre um imenso prazer te-lo por aqui, o mesmo praze que sinto quando estou no teu blog. Gostyo demais de teu comentário, a perseverança deixa as dores em segundo plano, em compensação, a dor nos faz sofrer e refletir, e nos fortalecer para um outro embate e saírmos vitoriosos, gosto demais destas deixadas em forma de comentário por aqui, obrigado pelo carinho, pela presença, palavras assim, de amigos, me fortalecem. Gosto de ler-te, por isso sempre darei uma passada no teu blog. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  9. Bucolismo te fornece
    A força da lembrança
    Como fora uma prece
    Que equilibra balança

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu adorado amigo Jair Lopes, senhor de todas as palavras, e nesta quadra dizes o que realmente preciso, ou busquei ao escrever este post, equilíbrio, uma prece, minhas lembranças. Senhor de todas as palavras, meu amigo, sempre entende minhas entrelinhas, mostrando de forma clara, os caminhos que eu mesmo escolhi. Obrigado amigo.
      Então estas de partida pra a Austrália ? que maravilha, além de Portugal, acho que é o país que visitaria. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
    2. Na terra do Koala agora
      Longe por demais amigo
      Porém vale pela aurora
      Pois visitar neto consigo

      Excluir
    3. Meu caríssimo amigo Jair Lopes, senhor de todas as palavras, o mundo é uma ilha, alguém disse, só que imenso para nós tão nada seres humanos, por isso as distâncias...olha que maneiro isso agora, continuamos nos comunicando, não importa onde estejamos...mas é verdade, desde que conheci os aborígenes, há muito tempo, nasceu este suposto desejo de conhecer a Austrália (sinceramente, apesar, não pretendo viajar para fora do Brasil, enfim). Uma viagem de amor à família, melhor ainda, mais bons motivos, apesar dessa minha aversão a sair do lugar, viajar é preciso, enriquece o espírito...Boa Viagem (sabe, ainda tenho dúvidas ao escrever viajem ou viagem rs). Meu carinho respeito e meu abraço.

      Excluir
  10. Adorei a tua sensibilidade, gostei muito mesmo.

    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vida querida amiga de além mar Crsitina Souza, quando falas em sensibilidade, acredito, pois em teu blog ela está a flor da pele, fico feliz por encontrares sensibilidade por aqui...Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  11. Muito boa a sua saída da angustia, Jair!
    É escrevendo e se expressando na credibilidade de seus textos, que vale a pena a busca da felicidade, nem sempre duradoura, mas, que seja intensa enquanto viva!
    Isso é o mais importante, viver e viver expondo seus intrínsecos sentimentos!
    Um enorme abraços, amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro amigo VitorNani quanta alegria tua nobre presença...começa a ficar meio complicado a "criação do texto" quando sabemos que seres importantes vão ler, o descompromisso pesa para o lado do compromisso de várias formas, mas não conseguirei reproduzir uma escrita que não seja condizente comigo, meu conhecimento - embora estejamos sempre aprendendo. Gostei tanto de"Pinceladas de Felicidade", por isso continuei e continuo a escrever sob a minha essência, buscando uma verdade que faça sentido para mim,e pelo menos para mais algumas pessoas rs. O instante, o viver, o contato, que seja intenso enquanto vivo.
      Mas eu busco uma literatura, eu tento, mas principalmente, eu gosto. Obrigado pelo enriquecedor comentário. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  12. Olá,querido Jair, boa tarde,
    Verdade,texto de muita sensibilidade
    ...muitos de nós, por vezes passamos por momentos difíceis, aliadas às contradições e dicotomias da era moderna,que colocam à prova as nossas forças. A estabilidade emocional é afetada e a vida fica um caos. Até olhar para dentro é confuso.Até respirar o ar bucólico é difícil. Mas,fico muito feliz ao encontrar alguém que ainda crê na vida e faz da escrita sua catarse, flertando com a realidade, a invenção e a memória, sem envergonhar-se do que ainda alimenta e liberta sua alma, porque, é neste percurso entre a escrita e a realidade que muitos de nós sucumbimos e vimos os sonhos de uma vida esfumarem-se...
    ...não tenho mais palavras para agradecer o seu carinho,para esse simples blogueiro, muito obrigado, belos dias,abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido amigo Felisberto teu comentário me paralisou, eu não sei o que te dizer, senão que gosto muito de ti, que é o que produzes, a forma como te conheci, conheço e vou conhecendo à medida que escreves mais, deste ser tão bem estruturado com as palavras, que parece brincar com elas, não sou crítico de nada, mas aprendi a apreciar,a degustar as palavras, os textos, e alguns realmente sobressaem-se nos marcam com mais força, teus textos tem este poder, por isso minha lisonja de tua presença, tuas amáveis palavras. Estamos vivos, isso é o que importa, e já que estamos aqui, quero dizer que estou vivo postando neste blog. Obrigado, muito obrigado por este comentário, eu acabo por escrever nesta linha:" faz da escrita sua catarse, flertando com a realidade, a invenção e a memória,"Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  13. Boa tarde, Jair.
    Escrever também é um aliviar de dores e desamores.
    Quando se escreve consegue-se exorcizar fantasmas, tantos! que assolam na noite e perseguem mesmo à luz do sol.
    abço

    ResponderExcluir