sexta-feira, 5 de agosto de 2016

SE ARREPENDIMENTO MATASSE...




A primeira vez ela disse que não gostava de mim, e somos apenas colegas de trabalho na mesma sala. Me senti tão mal com aquelas palavras que pedi uma licença imediatamente e fui refugiar-me no colo de minha mãe. Quanto a gostar é algo que não se escolhe, acho que é uma empatia, ter o coração e alma leves, ser profissional e não se manifestar assim, no âmbito de trabalho. Primeiro o respeito, ninguém é obrigado a gostar de ninguém. Superei, superamos, passados alguns meses, quase um ano. Quando da segunda vez ela me disse que não falava comigo, não falaria. Quebrou-se pra mim qualquer possibilidade de convivência, no trabalho, na mesma sala. Ninguém é obrigado a conversar assuntos diversos, que não assuntos de trabalho, no trabalho. Novamente, precisei me afastar. Outra licença. Pedi para minha chefa que quando voltasse não gostaria de ter de dividir a sala...fui novamente para o colo de minha mãe, que não conseguia entender, como alguém diz isso para seu filho, que é tão amado por ela, quase o melhor, não fossem os irmãos. Quando retornei da licença foi feito um arranjo, na falta de espaço, repartiram a sala com armários de metal. De um lado meu material de trabalho, um micro e um balcão, já que meu trabalho é protocolo e informações. Do outro lado todo o resto, algo entre uma cozinha e um cartório. O que deve ter sido feito com o consentimento de chefias superiores, veja só meu desprestígio por aqui. Na pior da hipóteses, pela falta de espaço, era o que se podia fazer. Quando me transferi para esta pequena cidade do interior, cheguei cheio de esperanças, afinal, as pessoas do interior, como eu, são boas, ledo engano. Assumi uma vaga que havia, sou concursado, e me parece que tomei o lugar de alguém, que não gostou, não gosta de mim e não fala comigo. Tenho falado em silêncio nos últimos posts, e assim estou, mas me alegro em atender as pessoas que aqui chegam e falar com elas, informar. Por vezes tenho medo de uma conspiração contra mim, falar mal, me desqualificar, mostrar um ser ruim que não sou, não completamente, afinal sou humano, sujeito a humores como todo mundo. Tem minha paranoia também, como sou relativamente novo por aqui, e esta colega ser uma senhora que esta aqui desde sempre, embora eu tenha meio século, fico em desvantagem e chego a perceber a indiferença de alguns, bem próximos dela. Não a odeio, tenho pena. Mil pedaços foi o que restou de um quase belo coleguismo, de colaboração em prol do trabalho. Arrependimento permanente, li num post no blog CAOS da blogueira Helena, e assim defino e permaneço por aqui, engolindo choro quando vem, porque vem, ponderando meu sorriso e comentários com as pessoas que me chegam, para evitar de serem destorcidos contra mim. Acho que a vida é assim mesmo, encontramos pedras pelo caminho, no meu caso uma rocha, mas devemos seguir honestamente nosso caminho. Eu estou tentando não ser engolido por esta nuvem negra que insiste tapar meu Sol. Se arrependimento matasse...




ps. hoje eu precisava desabafar, como meu terapeuta está de férias, meu blog o substitui.

18 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desabafa, sim, meu amigo Jair! Uma hora dessas temos de dar força pro nosso amigo blogueiro. Detesto gente agressiva e que vai chegando e dizendo o que quer. Bem, desculpe, mas queria que isso acontecesse comigo... Tenho pavio curto para essas coisas tão desaforadas.
      Mas tente não ligar, você tem muitas qualidades, tem valor, é assim que ficamos fortes! Quando temos razão, quando somos verdadeiros, somos os donos do mundo. Você sairá mais forte dessas coisas. Você já deve ter dado a volta por cima. Fique bem!
      Grande abraço.

      Excluir
    2. Desde de que me disseram que este espaço é meu e eu posso postar o que quiser, deu no que deu minha amiga. Mas isto era preciso at´é para eu ver o que estou fazendo de minha vida, se estou enfrentando os perigos, desafios ou estou me deixando soterrar por isso, este desgostar de mim. Lembrei de minha amiga Ju, ela me contou que certa vez a irmã dela trabalhava num local e tinha alguém que implicava com ela, a irmã dela contava e ela tinha vontade de ir lá bater na criatura rs, o pavio curto, mas só em saber disso já supero em muito estas implicâncias, e como disse, se meu psicólogo estivesse por aqui este post não existiria, precisava só desabafar, me aliviar deste mal estar no trabalho...mas eu só quero ser e continuar sendo um bom funcionário, útil no trabalho, e é nisto que tenho me concentrado, atender melhor, trabalhar melhor, permitir que minhas qualidades, que sei que tenho, possam fazer a diferença desse ódio descabido e sem motivo de minha parte. Obrigado querida amiga, graças a Deus tenho pensado assim, por mais triste que já tenha me sentido com a situação, fazer o que ? preciso viver e cuidar da minha vida. Sempre iluminado por tua lucidez minha amiga, obrigado. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  2. isso é sindrome de perseguição. é vc que tem de mudar e não os outros. Adapte-se.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que seria de mim, de minha psiquê sem tua existência criatura de Deus. Adaptar, obrigado pelo conselho...mas não preciso que tu digas de minhas paranoias, manias de perseguição, eu levo em consideração, mas tou falando de coisas concretas, mas eu gostaria muito que tudo isso fosse fruto de minha imaginação, mas não brisomattos, de qualquer forma sempre obrigado por deixar um pouco de teu tempo aqui comigo. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  3. Confie em vc... faça seu trabalho, conviver é preciso, entao apenas conviva, tente ficar perto dos que gostam de vc e deixe o resto pra la...
    Espero que tudo se transforme para o bem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demorei a me tocar, mas aprendi Frida querida, eu sou o que tenho, em mim eu devo confiar, porque busco e trilho o caminho do bem, na dúvida tento não me aproximar de ninguém, apenas respeito o próximo e tento fazer o melhor possível meu trabalho. Estou em dívida de visita-la, mas logo irei, pois é um blog que sempre tem a dizer para a alma humana. Obrigado pelo carinho de sempre, ajuda a fortalecer para que se transforme sempre para o bem as forças que me cercam. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  4. Jair, se ela não te gosta
    Não caia nesta esparrela
    Pois ela perdeu a aposta
    Se perde com isso é ela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu querido amigo Jair Lopes, tuas infinitas palavras sempre a me acarinhar, os amigos me acostumam mal, o que eu adoro rs...penso assim amigo, mas eu perco também, não deve ser bom manter por perto desafetos escancarados, alguém que poderia ser aliado para o bem comum, mas enfim, fazer o que ? Obrigado sempre amigo por tua prestigiosa presença por aqui. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  5. Todos nos encontramos con seres así en nuestra vida... Simplemente no nos quieren por cualquier razón y están en todo su derecho....

    Bendecir con el pensamiento y respetar al otro en su decisión, ese es el camino

    Paz y Tolerancia

    Isaac

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não poderia esperar outras palavras tuas senão estas, também acho que ninguém é obrigado a gostar de ninguém, só não expressar convivendo num mesmo ambiente, é no mínimo falta de educação, mas está no direito dela, assim como a liberdade acaba onde começa a do outro. Mas o melhor mesmo é ter pensamentos bons e respeitar sempre o próximo.....a tolerância está faltando no mundo e isso nos faz ver um futuro muito triste para a humanidade. Obrigado amigo pela visita e gentis palavras. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  6. Todos nos encontramos con seres así en nuestra vida... Simplemente no nos quieren por cualquier razón y están en todo su derecho....

    Bendecir con el pensamiento y respetar al otro en su decisión, ese es el camino

    Paz y Tolerancia

    Isaac

    ResponderExcluir
  7. Valeu o desabafo e sempre com porta aberta ao contrário do terapeuta... rsrsrs
    Por aqui, as férias chamam, uma temperatura na casa dos 40º... é o verão europeu!
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu querido amigo Rui, obrigado por aturar minhas lamúrias, vou reclamar com meu terapeuta amanhã...aqui neste país chamado Brasil tem um frio de rachar no Sul e no Norte Sol a pique e muita praia, temos verão o ano todo no Nordeste, eu moro no Sul. Obrigado amigo pela presença sempre bem vinda e palavras de consolo e engraçadas. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  8. Olá meu amigo e parente brasileiro!

    Tentei mandar comentários relativos ás postagens anteriores, mas logo se apagavam - perdi a paciência e fugi... mas hoje voltei.

    -E agora um pouco da minha estória:-
    Quando em determinada altura adquirimos um estabelecimento, ficámos também com todo o pessoal - seis cabeleireiras, e e mais uma na caixa(ao balcão)
    Jair, quer saber? DETESTARAM-NOS!!! E foi logo no primeiro dia.
    Passados dois meses o meu marido aumentou-lhes os vencimentos, nem assim...
    Tratava-as com brandura, mas elas só gostavam do patrão anterior que as massacrou durante anos. Êsse nem permitia que elas falássem, nem que se sentássem, e no entanto...

    O meu marido sofreu, com elas.
    E eu dizia-lhe a ele - olha, elas não gostam de nós, o pior é delas que têm de estar aqui afinal contrariadas a verem-nos diáriamente...

    Mas que é desagradável é. Uma pessoa sem fazer mal, e ser assim olhada.

    Só uma é que foi diferente, e ainda hoje nos vizita, vive em Espanha.

    Elas, uma a uma desandaram, e outras entraram, e como eu disse nós é que estavamos ali para ficar.
    Pois Jair, não se preocupe tanto - nunca ouviu dizer que vale mais o mal de inveja do que o bem de piedade?
    Ora se ela não gosta, que não olhe !!!
    O Jair não precisa de mendigar simpatia. Não seja modesto em demasia. Siga em frente, e não dê ázo a esses pormenores que vêm de pessoa mesquinha.

    Meu amigo, desculpe, mas eu tenho de falar-lhe assim. É que há gente que só está bem a arranhar os outros. Não lhe dê oportunidade, ignore-a, e vai ver que resulta.

    Abraço grande.
    Dilita


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dilita, minha adorada amiga, minha parente portuguesa com certeza, nossos laços ultrapassam os mares...Viver, ter vivência é o que podemos passar, nosso legado e contando parte de tua história consigo ver, que existe sim, e é desagradável. Como falei em algum comentário do comentário que faço, que se tivesse tido minha sessão com meu terapeuta não escreveria , com certeza este post. Ficou algo surreal, não gosta de mim, não fala comigo, porque, toda ação tem uma reação, e existem, como dizia uma sábia amiga, ruídos de comunicação, que por vezes podemos cometer sem achar maldade, podendo até ser, é engraçado, mas quem conta um conto aumenta um ponto, isto é certo. Não sou vítima, não existem vítimas, existem actos, existem situações que não vale a pena silenciar, aceitar o desagradável, fazer o contrário, não ser o que o momento está te levando, eu não posso ser assim. No dia 5 tinha consulta marcada e esqueci, tenho um bom terapeuta...minha querida Dilita, estou em falta contigo, preciso urgentemente navegar no teu blog e por a leitura em dia, é um caminho minha amiga que gosto de percorrer, saber, conhecer tuas histórias, quanto ao resto, é melhor vivermos da melhor maneira, e isto inclui o próximo, que inclui quem está mais próximo ainda, no trabalho, em casa...sempre bom ter tuas palavras minha amiga de além mar. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  9. Ah, Jair.
    Lamento por isso, afinal, é muito ruim trabalhar em um ambiente em que não nos sentimos bem.
    Mas para esse tipo de situação existem soluções... tenho certeza que você achará uma que te beneficie.

    Beijos!
    Blog: *** Caos ***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Helena que bom que apareceste neste post, influencia tua rs, pois de alguma forma me vi, vivo isso, meu arrependimento permanente. Soluções foram tentadas, separaram nossas sala com armário de ferro rs, é engraçado se não fosse bizarro...mas estou bem, dentro do possível, tenho um ótimo terapeuta e um psiquiatra que me ouve, tou seguro quanto a isso, agora quanto a veneno, não sei se já sou imune. Meu único benefício e razão de estar aqui é meu trabalho, nada nem ninguém, com a ajuda de Deus vai me atrapalhar, o resto, faz parte, vamos aprendendo, conhecendo as pessoas e vendo do que elas são capazes. Obrigado pela visita e pelo post que me deu um rumo, me fez tomar uma atitude. Amo o nome do teu blog ***CAOS***. Carinho respeito e abraço.

      Excluir