sexta-feira, 6 de novembro de 2015

ANDO DEVAGAR PORQUE JÁ TIVE PRESSA

 
 
TOCANDO EM FRENTE
 
Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz, quem sabe?
Só levo a certeza de que muito pouco eu sei
Nada sei.

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando dias pela longa estrada eu vou
Estrada eu sou.


Todo mundo ama um dia todo mundo chora,
Um dia a gente chega, no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz.

Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir.

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história,
Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
de ser feliz.

Conhecer as manhas e as manhãs,
O sabor das massas e das maçãs,
É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir.
 
by Almir Sater

24 comentários:

  1. Adoro essa música... Acho emocionante ! abraços, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chica do Céu, minha adorável amiga, minha veia sertaneja pulsa ao ouvir esta música rs, a letra é sublime, e é linda e emocionante. Obrigado amiga, sempre é maravilhoso ter tua presença. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  2. Chica do Céu, minha adorável amiga, minha veia sertaneja pulsa ao ouvir esta música rs, a letra é sublime, e é linda e emocionante. Obrigado amiga, sempre é maravilhoso ter tua presença. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. É sim minha querida...um canto caipira sertanejo roots. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  4. Acróstico

    Ando devagar porque nada sei
    Nada levo, porque nada tenho
    Deixo só rastro por onde andei
    O que nada diz de onde venho.

    Devagar porque não há pressa
    E da vida nada há que esperar
    Vivendo há que se andar a beça
    Até um dia atingir o outro lugar.

    Garanto que é triste cair nessa
    Andando na esperança chegar
    Restando que ao fim recomeça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ANDO DEVAGAR meu querido amigo Jair, senhor destas, muitas e outras palavras...querido amigo, surpresa e espanto sempre tenho ao ler teu canto, o que devolves para mim é tanto amor, amizade e consideração...teu comentário poema consegue ser tão lindo quanto, tuas rimas e a busca dos caminhos, das partidas e chegadas, um eterno recomeçar sem fim. Obrigado para sempre nobre amigo por tasnta poesia. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  5. Adorei! Que bonito... Profundo =)

    Beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cláudia, minha amiga de além mar, acaba por ser um poema muito lindo mesmo, se puderes procurar a música na net, será uma grata surpresa, é um cantar brasileiro legítimo, um ritmo que hoje é bastante banalisado enquanto música sertaneja. Esta é autêntica. Obrigado sempre pela carinhosa visita. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  6. Tus poemas... siempre coloridos y profundos...
    Paz y Belleza
    Isaac

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu querido Isaac, meu artista das letras e cores, sempre um imenso prazer em recebe-lo aqui...a poesia tem um frescor por ela própria, muito feliz o compositor, este artista Almir Sater, que eu tanto gosto, percebo também o colorido do campo, ao que nos remete o poema e profundo quando trata de nossas feridas, escolhas e caminhos que seguimos. Obrigado por estar aqui. Cariinho respeito e abraço.

      Excluir
  7. Tus poemas... siempre coloridos y profundos...
    Paz y Belleza
    Isaac

    ResponderExcluir
  8. Respostas
    1. Estou tendo a honra de sua visita mais uma vez dr Eduardo, seja sempre bem vindo, acho que este poema carrega um pouco do que temos e sentimos com relação ao nosso lar, nossa terra e aos olhos um bonito poema. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  9. Daí que admiramos juntos o Almir Sater... alma de poetas, música de poetas... poesia é bom demais da conta... Passando pra falar oi, estou por aqui... e que nossas músicas roubadas continuam traduzindo pensamentos e sentimentos... Beijos cheios de borboletas ainda cinza... mas florescendo em descobertas de possibilidades de amor...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Anaís, que comentário bonito, todo poético...gosto muito, muito do Almir Sater, de há muito tempo...às vezes digo: eu não gosto de sertanejo, mas na verdade eu não gosto é desta pasteurização de tudo na música. Eu amo música, e o Almir faz um trabalho autêntico destro deste universo. Um amigo meu dizia que a veia sertaneja dele pulsava quando ouvia Roberta Miranda (confesso que gosto da Roberta RS), então digo que minha veia sertaneja se realiza ouvindo Almir Sater. Ando devagar, é verdade, mas estou observando melhor a paisagem, as pessoas, o tempo, pensando com delicadeza as palavras que vou dizer:
      “Ando devagar porque já tive pressa
      E levo esse sorriso porque já chorei demais
      Cada um de nós compõe a sua história,
      Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
      de ser feliz.”
      Eita coisa mais linda sô. Sempre feliz ao estar conectado contigo querida amiga Anaís, é bom saber que continuo a dialogar na internet, que meu grito é ouvido e atendido, que a poesia navega, navega e reuni seres do bem para comemorar, festejar o dia de hoje por estar vivo e ter amigos, virtuais, mas verdadeiros amigos. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  10. Que showww!! Não conhecia esse seu blog Jair.Adoro essa música. Vou passar um tempinho aqui. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Regina, seja sempre muito bem vinda neste bloguinho, que tanto gosto de fazer. É o tipo de música, que pela sua qualidade, atravessa o tempo. Feliz com tua presença. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  11. Hola. Su sentimiento artístico es exquisita.
    Gracias por siempre visitar.
    Saludos desde Japón. ruma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Arigatô, estou muito feliz por receber alguém lá do Sol nascente, o sentimento permeia por todo o poema que é uma música. Adorei conhecer teu blog, irei mais vezes com certeza, amo fotografia. Seja sempre bem vinda ruma. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  12. "Todo mundo ama um dia todo mundo chora,
    Um dia a gente chega, no outro vai embora
    Cada um de nós compõe a sua história
    Cada ser em si carrega o dom de ser capaz
    De ser feliz."

    Pois é, dizer o quê? Verdade pura!
    Abraços, meu amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida amiga Tais, sempre que leio Cecília Meireles tenho a impressão de que é uma fada, que com sua varinha de condão a cada toque nos dá um poema, um encanto, como este que fala no canto que existe, ter alegria e ser triste...como um bailado leve e etéreo os versos vão seguindo e levando os sonhos e a pureza desta poesia. Os poemas de Cecília elevam a alma, nos dá forma de gente e coração de gente, nos fazendo sentir como gente. Doce poema...
      ps. Carinho respeito e abraço

      Excluir
  13. Essa música é muito bonita Jair! É você na foto? Seguir em frente com Paz e Amor no coração! Tenha um feliz fim de semana que se aproxima! :)

    Abraço

    ResponderExcluir