terça-feira, 8 de agosto de 2017

ANESTESIA



Poderia ser de um avião, que se olha as nuvens   e o céu pela janela, mas   leve era o sono, que me chamava para flutuar no nada delicioso de uma anestesia. Voltei mais duas vezes, mas me deixei levar, estava tudo bem, logo estaia na ativa, Sono profundo. 
Resultado de imagem para janela vendo o céu e nuvens
Mas maravilhosamente era uma janela, na sala de recuperação, após uma cirurgia, que por instantes cheguei a pensar em um avião. Anestesia.
Resultado de imagem para janela de um hospital vendo céu e nuvens

19 comentários:

  1. É assim mesmo, anestesia geral proporciona uma "viagem" deliciosa e sem muita explicação

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudade é que sinto querido amigo, abrir o blog e ter tuas palavras, senhor de todas as elas, teus versos e poemas e acrósticos, enfim, todas as tuas faces escritas sempre a me revelar e me fazer feliz por me fazer presente, obrigado. Foi minha primeira experiencia com anestesia, não lembro muito bem como fui, mas a volta deliciei cada momento, era para ser local, mas complicou um pouco e a geral foi a opção.Acordar e se deixar dormir, assim, leve, calmo e quase feliz com o resultado. Obrigado meu amigo e xará Jair...é como emergir de um profundo nada e chegar à tona e ter amigos esperando, obrigado. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  2. O que eu gosto na anestesia (falei gosto? rs) é que perco a noção de tudo, não sinto nem um leve apagar! Mas o terror, nada parecido com avião, é quando a última opção para a dor é morfina!! meu amigo... não queira experimentar! Eu contei no blog, só não disse que fui eu a vítima!
    Grande abraço, Você já está bem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida amiga Tais, como não ser feliz ao ter um amigo, amiga tão amável e preocupada, OBRIGADO pela amizade de sempre, e por teu email e tuas palavras, sempre tão precisas e leves e fortes, a dose exata da cura rs. Foi minha primeira experiência e gostei da saída, a entrada é meio zom e foi. Nunca andei de avião, a experiência era estar parado no céu vendo ele e as nuvens (sem turbulências rs). Estranho isso, mas gostei, espero não precisar nunca mais. Um post teu m fez me dar outra oportunidade, já me isolei tanto que talvez esteja esquecido, vou tentar, e não fecharei a unica porta, ou janela que podem chegar amigos. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
    2. (...) e não fecharei a unica porta, ou janela que podem chegar amigos.

      Pois é!!! Mesmo à distancia, há solidariedade e carinho dos amigos.
      E sua mãe, está bem?
      Fique bem!

      Excluir
    3. E tu sempre com razão minha querida amiga Tais, preciso destas amizades para minha vida ser mais completa...agora que ela tá enxergando graças a Deus) ela diz que me cuida, querida mãe, mas na verdade nos cuidamos e nos amamos e queremos viver, minha mãe é minha maior força e vontade de continuar. Eu estou bem querida amiga Tais, obrigado. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  3. Olá meu amigo e parente brasileiro!

    Por vezes uma anestesia até seria bem vinda em alturas menos boas. Desde que o acordar fosse agradável. Já passei por esse acordar magnifico. E mais tarde por outro que foi o inverso. Portanto vamos lá torcêr para que não seja necessário um adormecer forçado.
    Gostei dos posts desta folha, aprecio o seu modo de escrever.
    Gostei muito de ver a sua foto actuando no Teatro - mas era um rapaz todo bonitão, vistoso e elegante. E agora já o tenho apanhado a menosprezar-se, afinal sem razão.
    A sua mamã como está?
    Quero apresentar desculpas pela minha ausência. Factos alheios à minha vontade são a causa, mas não me esqueço do meu parente amigo.
    Agradeço o comentário que deixou no meu birras, gostei, senti-me acompanhada no gosto pelas árvores.
    Um abraço grande e uma boa noite! E, um bom acordar.
    Dilita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Dilita, minha doce amiga e parente portuguesa com certeza, estou bem e minha mãe também, com esta cirurgia estou podendo ficar mais em casa com ela, ela cuida de mim e eu dela (melhor momento de minha vida nestes últimos tempos).
      Nossa era uma fotografia com mais de 25 anos, só eu tenho meio século rs, mas foi outro momento bom de coletividade na minha vida, mas é passado, um doce passado. Acredito em 3 coisas mágicas nas nossas vidas reais, os pássaros por voarem, as mulheres por gerarem outro ser humano e as árvores, que são minusculas sementes e se tornam gigantes, sou um adorador de árvores e gostei muito do teu desabafo e relato do que acontece com as árvores que viviam perto de nós. O progresso? malvado ele não? Querida amiga acho que acordei, espero que continue com este equilíbrio, pois a vida merece ser apreciada...acredita que já sinto falta do trabalho ? mas é muito bom desfrutar da presença de minha mãe.Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  4. Meu caro Jair Machado, antes de mais delongas, falo aqui da impossibilidade de acessar o campo de comentários dos teus últimos posts,pois não o encontrei, daí o meu silêncio. Ainda bem que hoje o campo de comentários me está visível. Então, aproveito para agradecer teu comentário, lá no meu modesto espaço. Também apreciei teu comentário lá no post do nosso amigo Jair Lopes, vate por excelência; o lapidador das palavras. Quanto a anestesias, só posso falar das locais, pois ainda ainda não passei pelas totais. Gostei da imagem.
    Um abração. Tenhas um ótimo dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu bom amigo Dilmar, tua presença me enche de alegria...havia eliminado o acampo dos comentários no mês de julho, estou de volta para participar das rodas de conversas tão boas que são as da blogosfera, o teu blog é um bom exemplo. Sou um adorador do Jair Lopes, ele é o máximo. O inicio não é lá estas coisas, a gente nem vê, mas a saída da anestesia eu achei demais, principalmente porque saí rs. Estou de licença médica e vou aproveitar para correr atrás dos queridos amigos que tenho neste plano, digo, na net, que são os mais reais, ou tanto quanto os reais, Bom estar de volta, e muito bom te encontrar por aqui meu bom amigo e poeta Dilmar. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  5. Quanta beleza nesta reflexão postada. Ainda bem que, apesar dos deleites que a "anestesia" nos proporciona, depois de algum tempo voltamos à vida e isto é muito bom.

    Andava com problemas para comentar aqui. Não abria o espaço ... deve ser coisa do Bloger.

    Felicidades meu caro.

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu rei Bratz, sinto muita felicidade com tua nobre presença...voltar é ótimo, continuamos vivos e apreciando o que Deus nos deu de melhor, nossas vidas. Amei ver tu e o prof Elian, dá um grande abraço nele, grande amigo. Eu tinha fechado os comentários meu amigo, medo, neurose, me sentia só e queria ficar só, mas não é bom, aqui encontrei uma maneira de me falar, dizer para mim mesmo as dores e alegrias da vida e compartilhar com os amigos, meu suporte, sempre me trazendo alegrias. Seja bem vindo de volta sempre. Já tua feliz, tua iluminada presença me diz que os tempos estão melhorando e ficarão cada vez melhores. Que bom te-lo aqui meu amigo, meu rei Bratz. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  6. Gusta tu blog me encanta
    te mando el mio por si quieres visitarlo

    http://anna-historias.blogspot.com.es

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Volgut Anna estou a navegar em teus poemas e buscando uma tradução do que não entendo...estou muito feliz por tua presença por aqui, logo, logo já terei um poema teu totalmente traduzido do catalão para minha língua, o português do Brasil. Até breve querida amiga. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  7. Blogger dilita disse...
    Amigo Jair

    As árvores se foram e os passarinhos debandaram. Não mais os teremos pousados no peitoril das nossas janelas sujando é certo, mas a melodia com que nos saudavam na calma madrugada tudo compensava.
    O melro, "madrugador jovial" que até entre chuvadas logo cantava e ia catando insectos no relvado... Já é passado, e em mim ficará a recordação mas não isenta de pena.
    Grata pela visita aqui, e palavras amigas.
    Abraço.
    Dilita

    10 de agosto de 2017 às 14:27 Eliminar

    ResponderExcluir
  8. (Grata pela visita aqui) refere-se à sua visita e seu comentário no meu blog.
    Eu escrevi lá e trouxe tudo, daí o erro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida Dilita, minha amiga, irmã e parente portuguesa, com certeza...não há erro quando o diálogo é entre amigos, fico feliz com teu 'erro' vindo para meu blog. Os pássaros, estes barulhentos, digo isso que havia um ninho numa casa em que morei em outra cidade, eles me acordavam, mas sinto falta agora, deveria ter desfrutado mais, apreciado rs...mas a partir de teu depoimento, comentário, percebo que a vida em nosso planeta corre sério risco, já sabia, mas é real, esta em nossa volta, ou estava. Te ter por aqui, minha querida é sempre momento de felicidade, podes errar bastante, desde que venha para cá. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  9. Boa noite Jair \o/
    A anestesia te proporcionou a lembrança
    de belas imagens!
    Eu também não achei nada
    delicioso tomar uma anestesia geral,
    mas gostaria de ter tido lembranças leves
    como alguma paisagem vista da janela de um avião!!
    Beijos ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida amiga Clau, foi uma experiência e tanto, minha primeira vez, na verdade a saída dela, de retornar ao estado consciente, tipo, tou vivo, então me deixei tomar pelo existia de anestesia ainda em mim, se existia. Não pretendo repetir...sorte a minha de acordar numa sala que podia ver o céu azul e suas nuvens brincando sobre mim. O avião é quase uma metáfora...obrigado por estar aqui. Carinho respeito e abraço.

      Excluir