quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

TRISTE POSTAGEM

Resultado de imagem para alepo

Resultado de imagem para alepo



Sempre achei triste postagem sem comentário. Depois li: faça um blogueiro feliz, comente. Hoje acostumei a viver só no mundo e na internet. Estamos ocupados demais com o que nos cerca. Está tudo muito veloz, embora a rotação do planeta não esteja. “Quem é o inimigo, quem é você ?” Enquanto isso em Alepo, um resto de cidade na Síria, continua matando seus moradores, destruindo o que ainda está de pé e desplantando os jardins que eram cultivados dentro de casa, por crianças inocentes. No Brasil a morte banalizou, pisamos em cadáveres na rua, falamos ao celular enquanto dirigimos, jogamos lixo em qualquer parte e não amamos, nem respeitamos o próximo. No meu mundo real a dor é real. No mundo virtual, recebemos o esquecimento rápido, face as novas e últimas novidades, que tem pressa, urgência para impactarem e desaparecerem como se nada fosse feito. Enquanto isso falamos de amor, dias felizes e memórias vagas. Falar no sentido metafórico, não nos falamos, apenas postamos e esperamos que alguém pare em nosso blog e diga olá, que belo, que bom...”mas as pessoas na sala de jantar São ocupadas em nascer e morrer” . Enquanto eu choro minha pitangas egocêntricas, Alepo caminha a passos largos para mais um genocídio e a destruição total.




12 comentários:

  1. Acróstico

    Um massacre que se comete a luz do dia
    Milhares de civis sob bombas e explosões
    Ignorância mortal sem pejo, se diria
    Ninguém está salvo onde somem as razões

    Ferozes belígeros com sangue nas ventas
    Em total desacordo com dor das crianças
    Rematam suas vidas com ações violentas
    Não poupando pequenos nas suas matanças.

    O que se vê, é tão somente crueldade
    Como Bashar al-Assad assim o deseja
    Homens, mulheres, bebês, toda uma cidade
    Ali, à morte ofertados numa bandeja.

    Morrem queimados em fogueira horrorosa
    Acuadas por monstros em seus aviões
    Deixam o solo manchado de sangue rosa
    O existência fenece em meio aos clarões.

    Agentes malditos em trajes camuflados
    Livremente cometendo feroz holocausto
    Em Aleppo, mortandade por todos lados.

    Povo morrendo, guerreiros fazendo fausto
    Porque os pobres civis estão condenados
    Obterão paz quando Bashar se ver exausto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Ali, à morte ofertados numa bandeja". Meu bom amigo Jair Lopes, senhor de todas as palavras, obrigado por este poema forte, triste, real mas com beleza na sua forma, a forma de poesia para nos contar que a dor está aí, só naõ vê quem não quer. Aleppo é a cidade da hora, mas em número de mortos que nos assustamos, mas nós nem imaginamos que aqui no Brasil o número de mortos no mesmo período das guerras é igual, senão maior. Lá a guerra é real e sangra para o mundo, aqui a guerra é real, mas não vemos isso, queremos que nosso país esteja em paz, mas morre muito mais gente aqui, vivemos tempos de guerra, só não é dita abertamente. Estamos morrendo de bala perdida na sala, sentado no sofá. Pobre Aleppo, pobre Brasil. Sempre com intervenções maravilhosas meu bom amigo, suas palavras brotam como uma nascente de água, e chega até aqui para eu saciar minha sede, obrigado. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  2. Triste y cruda realidad, el hombre es el depredador del hombre por culpa de las ambiciones.

    Abrazos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mi Hermano querido, o homem é o único bicho que mata a si mesmo, por qualquer motivo, ganância, ódio, intolerância e até por puro prazer...não é á toa que chegamos neste nível horrível de desumanidade. Gracias pela visita. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  3. Caro cronista amigo Jair, repito aqui o que disse lá no espaço do nosso amigo poeta Jair, em pleno século XXI, os inimigos da humanidade ainda comandam a crueldade. Gostei também de reler o nosso poeta-anjo, Mario Quintana.
    Um abração. Tenhas um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei no amigo quando postei Mário Quintana...verdade, "meus inimigos estão no poder" como já cantou Cazuza. E isto é o mais triste e assustador, existem seres que não poderiam ter poder algum, vemos isso aqui na nossa política brasileira, bandidos travestidos de grandes empresários e políticos corruptos. Sempre um prazer ter o amigo por aqui. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  4. Caro cronista amigo Jair, repito aqui o que disse lá no espaço do nosso amigo poeta Jair, em pleno século XXI, os inimigos da humanidade ainda comandam a crueldade. Gostei também de reler o nosso poeta-anjo, Mario Quintana.
    Um abração. Tenhas um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  5. Ah, voltei para dizer que o amigo esteve perfeito na cronica Publico e Privado. Muito bom, mesmo.
    Um abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado meu bom amigo, foi uma crônica desabafo, aconteceu mesmo, quando chegava um dia para trabalhar, enfim...sempre muito grato por tuas sempre boas palavras para como que eu escrevo. Carinho respeito e abraço.

      Excluir
  6. Olá, meu amigo Jair, pois é, o poder corrompe, e se não corromper, os que lá estão já foram corrompidos, prestes a aprontar, sempre.
    Esse caso da Síria e tantas outras atrocidades, parecem que são histórias inventadas, que as crueldades ficaram nos primeiros séculos. E digo mais, trazendo essas coisas para nosso país, tenho a impressão que a LavaJato vai explodir, que não será suficiente...Pena nosso país assim, temos de passar por isso, e acredito que nunca terminará, sem ser pessimista, apenas real. Estamos todos indignados como você.Que vergonha!!
    Grande abraço, amigo, bom fim de semana. E vamos em frente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha adorada amiga Tais, sempre bom demais tua presença em minha vida/blog...retornarei para comentar...tinha urgência em postar...carinho respeito e abraço.

      Excluir
    2. Minha querida amiga Tais, infelizmente temos de passar por isso, que seja a Lava Jato, precisamos dos nomes dos bandidos para irem para a cadeia, mas continuo com FÉ, e que nosso país, tão bonito, tão gigante, seja mais uma vez destruído e roubados nosso último pote de ouro, no fim de nosso arco iris...um pouco de poesia para aliviar a dor. Muito obrigado sempre querida amiga por se fazer presente e iluminar este blog, deixar o coração deste amigo feliz, todo o bem que me desejas peço o dobro e mais para ti e quem tu amas, Carinho respeito e abraço.

      Excluir